/* PRIVILÉGIOS DE SÍSIFO 反对 一 切 現代性に対して - 風想像力: O CORNUDO RESPEITÁVEL

PRIVILÉGIOS DE SÍSIFO 反对 一 切 現代性に対して - 風想像力

LES PRIVILÉGES DE SISYPHE - SISYPHUS'PRIVILEGES - LOS PRIVILÉGIOS DE SÍSIFO - 風想像力 CONTRA CONTRE AGAINST MODERNISM Gegen Modernität CONTRA LA MODERNITÁ E FALSO CAVIARE SAIAM DA AUTOESTRADA FLY WITH WHOMEVER YOU CAN SORTEZ DE LA QUEUE Contra Tudo : De la Musique Avant Toute Chose: le Retour de la Poèsie comme Seule Connaissance ou La Solitude Extréme du Dandy Ibérique - Ensaios de uma Altermodernidade すべてに対して

2006-11-04

O CORNUDO RESPEITÁVEL

Neste país rectangular, paraíso barato para ter ideias óbvias e rectangulares como as que se seguem, há um espécime singular: O Cornudo Respeitável. Tanto pode pontificar num jornal, onde se indigna periodicamente, como numa taberna, neo ou clássica. Mesmo que não ocupe um alto cargo, dá a ideia que vai ocupá-lo, que já o ocupou, ou que só por razões de muita inveja é que não está a ocupá-lo. Mas a verdade é que ocupa, muitas vezes um alto cargo, que naturalmente, com a sua presença fica altíssimo.
Não se pense que o Cornudo Respeitável, tem os ditos cornos postos pela esposa. Não! (Se fosse só assim era apenas mais uma figura cheia de bonomia para o teatro francês, para essa clássica galeria dos Cocus sempre actual no país Hexagonal, paraíso barato do pensamento hexagonal) pois não é só a mulher ou amante! - Toda a gente o encorna.
Se o partido oposto (em teoria) ao seu sobe ao poder, crescem-lhe cornos quadrianuais, Se o seu clube perde (O Cornudo Respeitável adora futebol, é mesmo o sustentáculo oficial e não oficial de todo esse desporto-negociata) crescem-lhe apêndices semanais. Se o filho falha no exame, então é porque foi encornado pelo professor, pela Ministra que rapa o bigode, pelos díscolos que vendem material para charros à porta da escolas, pela polícia que não fiscaliza o decibel na rua que fica em frente ao quarto onde o rapaz estuda.

Se leu um livro
(ou mesmo se o escreveu) , e o achou admirável, dando-se ao trabalho de escrever sobre ele ou falar dele em diferentes tons, e se alguém o critica, imediatamente, à velocidade da luz, sente mais um par de cornos que o "ofende e magoa", mas que crescem, imparáveis e se juntam ao já vasto Jardim de Cornos que ostenta no alto da cabeçorra.
Curiosamente, ele é o único que não os vê, nem em si, nem nos seus respeitabilíssimos colegas, a quem, como é óbvio, o mesmo acontece. Sendo assim, pelas tardes calmas, onde damas discretamente xanaxadas falam de amor (de que ouviram falar) e os seus Respeitáveis Esposos Cornudos, abrem os pesados jornais do fim de semana nas esplanadas, a densidade dos Jardins de Cornos é impressionante. Entrechocam-se, misturam-se, osmotizam-se ( e chegam mesmo a onanizar-se) e voltam para casa com os Cornos Trocados! Ora isso é lamentável, por isso chamo a necessidade das autoridades competentes para providenciar recintos onde cada um entre e saia com os seus(dele) respectivos apêndices sem que haja possiblidade de os extraviar ou trocar sem querer. Haja respeito!

0 Comments:

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home