/* PRIVILÉGIOS DE SÍSIFO 反对 一 切 現代性に対して - 風想像力: OS GATOS TEM OS SEGREDOS DE MATISSE

PRIVILÉGIOS DE SÍSIFO 反对 一 切 現代性に対して - 風想像力

LES PRIVILÉGES DE SISYPHE - SISYPHUS'PRIVILEGES - LOS PRIVILÉGIOS DE SÍSIFO - 風想像力 CONTRA CONTRE AGAINST MODERNISM Gegen Modernität CONTRA LA MODERNITÁ E FALSO CAVIARE SAIAM DA AUTOESTRADA FLY WITH WHOMEVER YOU CAN SORTEZ DE LA QUEUE Contra Tudo : De la Musique Avant Toute Chose: le Retour de la Poèsie comme Seule Connaissance ou La Solitude Extréme du Dandy Ibérique - Ensaios de uma Altermodernidade すべてに対して

2009-03-27

OS GATOS TEM OS SEGREDOS DE MATISSE


E agora que me preparava para escrever sobre o Plaxo, o Facebook e o Twitter e a nova webcracia atravessou-se no caminho a fita métrica extensível do ALVESS.
Personagem discretíssimo, antes de morrer abriu a boca para dizer: falta só um milímetro.

O seu nome banal e surpeendente ALVESS encerrava e abria a sua obra. Não seria uma simples obra plural, seria multiplural, evasiva, supremamente irónica - de uma ironia desconhecida em Portugal - aquela que se serve gelada, sem sarcasmo opinativo pelo meio.

E agora levaram-no os anjos com cara de tubarão. Porque ele viu como um colt 45, com a rapidez com que Clint Eastwood o sacava e viveu cheio de golpes de rins como o melhor dos UPAE (Único Puglilista Absolutamente Esqueleto=

Tal como Ducasse, grande pepino ártico com o dorso mulitfacetado por lâminas de Iboga (curiosa planta...), ALVESS em vida já tinha milhares de orfãos e preparava-se para deixar Portugal mais perto da Atlântida - enfim de uma certa luz persistente da Atlântida que ainda circula em pura transgressão, apesar do socialismo e dos últimos freudianos.

Etiquetas:

2 Comments:

Blogger pedroludgero said...

Por acaso, eu não conheço esse casal. Cheguei ao "Olhar de Ulisses" porque na altura era amigo de outro casal (Saguenail e Regina Guimarães), com quem agora não mantenho relações, e que também faziam parte desse projecto.

Francamente, acho que os textos que publiquei aí eram mauzinhos (eu estava em fase down). Escrevi um texto inane sobre um dos realizadores que mais amo (o Murnau) e uma coisita mais fresca sobre o Hitchcock (em que o acusava de ser lírico...).

Enfim, coincidências.

8:46 da tarde  
Blogger Miguel Drummond de Castro said...

Eu escrevi no nº2, sobre um dos últimos mudos a ser rodados, The Wind, do Vítor Sjostrom (com trema no primeiro O!. O texto ainda está apresentável.
E adorei estar no Porto durante o festival. Depois dos filmes da manhã e do almoço íamos ao Majestic...

Miguel

11:41 da manhã  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home