/* PRIVILÉGIOS DE SÍSIFO 反对 一 切 現代性に対して - 風想像力: FRASES INÍCIO DE CONTOS MORAIS QUE TENHO NA FORJA PARA ZANZEAR OS ZÚMBIOS

PRIVILÉGIOS DE SÍSIFO 反对 一 切 現代性に対して - 風想像力

LES PRIVILÉGES DE SISYPHE - SISYPHUS'PRIVILEGES - LOS PRIVILÉGIOS DE SÍSIFO - 風想像力 CONTRA CONTRE AGAINST MODERNISM Gegen Modernität CONTRA LA MODERNITÁ E FALSO CAVIARE SAIAM DA AUTOESTRADA FLY WITH WHOMEVER YOU CAN SORTEZ DE LA QUEUE Contra Tudo : De la Musique Avant Toute Chose: le Retour de la Poèsie comme Seule Connaissance ou La Solitude Extréme du Dandy Ibérique - Ensaios de uma Altermodernidade すべてに対して

2007-09-21

FRASES INÍCIO DE CONTOS MORAIS QUE TENHO NA FORJA PARA ZANZEAR OS ZÚMBIOS


Existir é demasiado estranho para ser deixado aos cabeleireiros e às demisses

Alguns chapéus de blandineira pensam o mundo bem melhor que muitas cabeças de sociólogo

Um bom filósofo rapidamente desiste da filosofia e passa a observar os grilos, ou então dedica-se a práticas líricas, e na porta afixa a sua cara de Grande Ausente ao mundo. Entretanto apupa o mudo que lhe paga ao dobro

Os melhores filósofos são escritores falhados ou embrionários. Falta~lhes saber chuchuminar, por isso descambam no bisonho ou no enjardecado

Em certos homens tudo começa e acaba nos dentes, de tal maneira que parece que rasgam os pensamentos com a boca

as fadamecas são umas madamas do fadismo transgénero que incoporam bateria nas doze cordas, tipo vodka com tinto, à ucraniano e à frangalheiro

Há homens que pensam apenas com o cócxix, e a sua felicidade consistiria em ter mesmo a cauda botinada

Le style c'est l'homme? o estilo é muito melhor do que o homem

Uma pessoa que põe a respeitabilidade à frente da lucidez é um tonto faneca e pomposo que morde a própria cauda com o seu próprio óleo

As pessoas que não sabem que as palavras podem ser serpentinas e cheia de filúcia venenosa em geral envenenam-se a si mesmas

A ingenuidade e a inocência são duas intoxicações do espírito que convem saber reiniciar

Embora um pouco oleosa, a racionalidade é uma ilha estável e ordenada, a ignorância um mar encapelado e perigoso. Entre as duas está Mr.Fenyman e Mrs. Marple, enquanto superman lava a louça à Fénix

As boas respostas são sempre mais inconcebíveis do que as boas perguntas
ou uma boa pergunta é a que tem uma resposta inconcebível

Uma só nódoa no mar mancha todo o mar, um mar de nódoas hoje em dia parece o mar

Há só uma filosofia, a do riso louco. Toda a outra filosofia é casmurra, macambúzia e focinhuda

Os jornais para alguns substituem o sexo oral e mental e acabronado

Um filatas é um farfalhão com sorte quer se acabralhe ou meramente cabreje

Aprende-se mais com um melga do que um filatas, e com um futrica do que com um ministrelho

As mulheres felonianas associam-se em galochas e felostrias, a menos que lhes dê para a pimpolhice caso em que se tansformam em mulherio

Deve-se cendrilhar um bom argumento com o espavento? Assim pensa o farfalhoso e o abade republicano

O canudo é um cão bicudo que fanha-fanha

Larilas, paneloso e panisca assim está o nosso tempo, além de ditadulho

A televisão para fantastiquice, o catedrático para a panelice, o burro serve a ambos na trasfega

Há que desnocar a ideia da Pátria com frequência, a menos que queiramos que ela nos espaneje a burga de carijó

Espeide vocemecê um ministro, será um espermatócito suprematista

Espargenado está o país, espertalhotão como em Abrantes, espenicão como sempre

O Grande Orfanário do Escarro, podia ser o nome desta ditosa minha amada pátria

Somos uma nação de enfedilhados juniores do berço à Tumba

Enfadarrilha! o moço já anda desmijado!

A burunganga da fala dos professores tem servido de busaranha aos borbulhudos indolescentes, e de lamiré para as Bovaris

O bestarraz de um trocamontes faz falta nas cidades cheias de tronchos e bretoegas, quanto mais não seja para ter chiaroscuros

A crítica de arte é uma benzilheira para as galerias que melhor lhe pagam

Um bom motim é tão raro como uma nova injúria bem chibada e putalhenta

A comida nouvelle cuisine é chichimeca de aspecto, salafrária de gosto e zaquitolas no palato

Anamorfose de ananás, palmeirim, palmeirinha e pitucuabá nunca se põe no olho

Uma prosa de francelho como a do defumado EPC lembra um penico modernizado com metafísica da Zara

À luz dos meus calos, eczemas e caspa por causa do nervoso não posso deixar de pensar que o Portugal actual é um grande Penico Modernizado, fangoso, francelho, e com auriculares. Sobra-lhe em aventesmas o que enfarda em MCdonaladarias da carne e do pensamento. Gargantua autoestradas pilé e caquinha, com casa de banho avariada e astral e inspirado pelo ar condicionado beldroega-se atrozmente a ele, confundindo o zé faz formas com a corrente do autoclismo

0 Comments:

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home