/* PRIVILÉGIOS DE SÍSIFO 反对 一 切 現代性に対して - 風想像力: GATOS E VARIZES E ADOLESCENTES BÊBEDOS

PRIVILÉGIOS DE SÍSIFO 反对 一 切 現代性に対して - 風想像力

LES PRIVILÉGES DE SISYPHE - SISYPHUS'PRIVILEGES - LOS PRIVILÉGIOS DE SÍSIFO - 風想像力 CONTRA CONTRE AGAINST MODERNISM Gegen Modernität CONTRA LA MODERNITÁ E FALSO CAVIARE SAIAM DA AUTOESTRADA FLY WITH WHOMEVER YOU CAN SORTEZ DE LA QUEUE Contra Tudo : De la Musique Avant Toute Chose: le Retour de la Poèsie comme Seule Connaissance ou La Solitude Extréme du Dandy Ibérique - Ensaios de uma Altermodernidade すべてに対して

2008-10-08

GATOS E VARIZES E ADOLESCENTES BÊBEDOS



A minha gata Rosita caça tudo o que penso mal. Quando eu queria pensar em estrela e sai teia de aranha com mosca, ela caça. Quando eu estou cheio de electricidade ela dispara raios azuis pelos seus bigodes. às vezes sinto um ruído de cafeteira a ferver, é ela.

Sou ou sou-me? Sou-me visto pelos olhos dela, quando do lado de fora da janela me olha durante quartos de horas seguidos. Dois nómadas imóveis somados dá concerteza seis vezes mil ou coisa assim que se pinte.

Fiz vários quadros dela. Os meus gatos saiem sempre demónios- são doutra doçura.

Rosita tem um miado de tenor. Tão novinha (4 meses) mia grosso. Julgo que dispara fios de linguagem densa. Acerta-me nas várias luas que giram à roda da minha cabeça. As Luas param. Comandante galáctica ela ganha o seu pratinho de bolachas.


O meu gato Charlot tem mesmo um bigodinho curto e negro. Não sabe coçar-se. Está em guerra com as suas orelhas. Coça-as até que elas fiquem escarlates. Eu que escrevo uns sonetos rascas faço o mesmo. Os meus sonetos deitam sangue pelas orelhas.

Charlot além de imobilidades de gato (ou seja demónio e éter) tem imobilidades de sábio do Sião. Cruza a cauda debaixo das patas da frente. Faz Yoga no telhado. Um dia vi que ele era o Universo. Trémulo. Descentrado. Sempre a desfazer-se em poalha luminosa e dourada.

As pessoas sem gatos junto vejo-as como amputadas. Não tem bigode. Não tem antenas. Perderam o pêlo. Tem a alma esfolada. Choram quando riem.

Hoje não sei porquê vi e doeu-me várias mulheres com varizes nas pernas. No Correio uma velhota tinha nós azuis e amarelos grossos perna abaixo. Estava parada, dolorosamente, a ser chupada pelo sangue que não corre nela. Há gente que seca por dentro. Mas o pior são as que tem varizes no pensamento. De repente salta a tampa do cérebro e as varizes amotinadas invadem o espaço inteiro e afogam-nos.

Vi um bando de adolescentes rapazes e raparigas de 12 13 anos que vinham pela rua hílares, com o rostos algo congestionados, agarrados a latas de cerveja e as raparigas levavam garrafinhas de whysky já quase todo bebido. Não tinham, ou tinham perdido gli splendore della giovenezza. Um ar surdo, cinza, monótono, rodeava-os. Pareceram-me muito certos com estes tempos de treva.

No fundo o inferno cruza-se, com as suas hostes, com o espaço dos devas.- Há que ter a possiblidade de conjugar os dois sem dar em doido ou reformista ou profeta alucinado com os cabelos em pé ou a careca ao vento, a dez metros acima da sua cabeça.

Hoje que fui comprar umas calças a um Armazém, cujo dono é uma viúva e o filho, um rapaz muito baixo e magro com cabelo comprido e barba à D'Artagnan fumava à porta, vi-me (sob luz fluorescente num espelho enorme. Há um ano que não me via num espelho enorme. Não sabia quem era aquele homem desfeito pela luz fluorescente. Agradou-me uma certa qualidade montanhosa daquela imagem. Apeteceu-me subir por mim acima até chegar ao milgare do ser desvendado na última altura. Depois vio que as calças eram demasiado compridas. Deviam ter sido preparadas para um gigante de basquetebol. Dei um salto para ficar da minha altura.

Vi mais tarde uma sinopse do duelo entre Obama e John McCain. Eu não votaria em nenhum, nem no falso branco nem no branco falso. No pseudo veterano e no neófito com retórica. Os dois vices são detestáveis. Mas a Palin tem uma franja insuportável, entrou-lhe dentro da voz.

Há mulheres cuja voz pode ser usada para ralar cenouras.

Os adolescentes semi-bêbedos, de ar turvo, com um ar escuro à roda, não são rebeldes - são deja -vus. Foi em Cartago que vi hordas desta gente? Semi-demónios, os do conformismo? Mas estão justos com estes tempos de conformistas militantes por toda a parte.

De manhã falei com um preto que é pescador que me disse que as multas para os marítimos são sempre pelo menos de 300 euros e que o novo comandante da GNR do porto de Sines agora não deixa que as pessoas apanhem o peixe pequeno que sobra. Manda-o deitar fora.

As pessoas que gritam com os que amam não os amam.

2 Comments:

Blogger pedroludgero said...

Delicioso. Demoníaco.

12:30 da tarde  
Blogger Miguel Drummond de Castro said...

Obrigado. Foi escrito pelos gatos, para os gatos e para quem vive junto deles.

Um abraço,

Miguel

10:52 da manhã  

Enviar um comentário

Links to this post:

Criar uma hiperligação

<< Home